resenha category image

Marian Keyes – Férias!

Publicado em: 30.05.2016  

Férias!

Férias!
Marian Keyes
Editora Bertrand Brasil, 2010
546 páginas

Saraiva Submarino
Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga – pode-se mesmo dizer muy amiga – de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro – a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale… Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

Não sei explicar, mas pode-se dizer bem de longe que eu não gostei desse livro. Foi uma leitura arrastada demais! Dei uma classificação 2, pois tem algumas partes bem engraçadas, mas no contexto não gostei da estória. E eu sou completamente #teamwalsh É, também não entendi! Bem…

ferias-1

Rachel tem 27 anos e se acha alta demais. Mora em Nova York faz oito anos e divide um apartamento com sua melhor amiga Bright e namora com Luke Costello. Rachel acha que sua vida é toda problemática, seu emprego é horrível e ela tenta se encaixar em NY. Ela, sua amiga e seu namorado são Irlandeses.

Clique para ler o restante do post!

resenha category image

Lauren Kate – Fallen, Livro 1

Publicado em: 23.05.2016  

Fallen

Fallen
Fallen, Livro 1
Lauren Kate
Editora Galera Record, 2012
406 páginas

Saraiva Submarino
Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no reformatório. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso que provocou a morte de seu namorado levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder – uma verdade que poderia matá-la. Algo que, em suas vidas passadas, Daniel não conseguiu evitar.

Com tantos personagens – alguns bem desenvolvidos; outros, nem tanto, – o enredo te faz suspeitar de tudo e de todos: não dá pra saber quem é do bem ou quem é do mal. À medida que a história vai se desenrolando, as desconfianças mudam de direção, voltam e mudam de novo, num festival louco para tentar adivinhar em que lado cada um está.

Outro dos mistérios da série é que não fica claro o motivo de Luce ter ido parar num internato para adolescentes problemáticos. Tudo o que se sabe é que o ex-namorado dela morreu de maneira muito suspeita e que, de alguma forma, ela foi considerada culpada. Como ele morreu não se sabe, uma vez que Luce tem poucas lembranças daquele dia.

fallen-1

Quanto ao casal – ou triângulo, – principal, não sei porque cargas d’água, dessa vez eu torci pro ‘vilão’. Apesar de sua índole e suas boas intenções, Daniel Grigori não é o que eu chamaria de personagem carismático, pelo menos na primeira parte (porque no fim, eu estava completamente alucinada por ele hahah), enquanto seu antagonista, Cam, a todo momento se mostra mais real que Daniel, mais presente, mais solícito. É uma das melhores apostas da série.

Apesar de já ter comentado, acredito que a maior sacada de Fallen seja mesmo o lance do mistério, de não se saber o que vai acontecer, quem vai fazer e quem é bom ou mal. Isso nos deixa encucadas até o último momento, quando o gran-finale acontece, deixando todos estupefatos.

fallen-2

Já li todos os livros da série e afirmo com afinco que vale demais a pena a leitura. O final é surpreendentemente lindo/louco/incrível. 🙂

resenha category image

Sophie Kinsella – À Procura de Audrey

Publicado em: 16.05.2016  
À Procura de Audrey

À Procura de Audrey
Sophie Kinsella
Editora Galera Record, 2015
336 páginas

Americanas Saraiva
Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor.

Quem me conhece, sabe que não meço elogios quando o assunto é Sophie Kinsella – sou completamente fã da autora e, para mim, ela é a melhor e maior representante do gênero chick-lit. Então, quando foi feito o anúncio de Finding Audrey, primeiro Young Adult da autora, já passei a contar os segundos para seu lançamento no Brasil. Finalmente, a Galera Record o publicou sob o título À Procura de Audrey, mantendo a capa original. \o/

– Olhe, é a celebridade! – ironiza o pai de Ollie, Rob, que vem me chamando de ‘a celebridade’ pelas últimas quatro semanas, embora tanto mamãe quanto papai, em ocasiões diferentes, tenham lhe pedido para parar. Ele acha que é engraçado e que meus pais não têm senso de humor (noto, com frequência, que as pessoas equiparam ‘ter senso de humor’ a ‘ser um idiota insensível’).

a-procura-de-audrey-1

Em À Procura de Audrey, a história, como tipicamente ocorre em livros de Kinsella, é narrada em primeira pessoa pela protagonista, Audrey, uma garota de 14 anos que sofre de transtornos de ansiedade e de episódios de depressão desde que viveu uma situação traumática na escola, há alguns meses. Por conta disso, passou um tempo internada em um hospital e, desde então, vive em casa, recebendo algumas atividades da escola, até que o novo ano letivo seja reiniciado, em Setembro. Não apenas ela terá que frequentar um novo colégio, como também repetirá de ano, já que perdeu muitas aulas. De qualquer maneira, o período de tempo abrangido na história é o da fase de recuperação de Audrey em sua própria casa.

a-procura-de-audrey-2

Embora seja uma temática delicada e, de certa forma, bastante pesada, Sophie Kinsella aborda a questão com maestria e com o divertimento típico de suas histórias. O livro conta com diversas passagens engraçadas não apenas pelos fatos em si, mas pela maneira como são contados. Além disso, a própria família extremamente caótica de Audrey já oferece o cenário perfeito para muita diversão, sendo também extremamente cativante, como a própria protagonista. O grande trunfo da autora, para mim, foi conseguir fazer essa mescla: a diversão quebra o peso da história e proporciona leveza a ela, contudo, não retira a seriedade dos assuntos abordados, e nem a dificuldade sentida por Audrey em seu tratamento, ou a maneira de como isso afeta toda a sua família. Ao mesmo tempo em que À Procura de Audrey é hilário, é também extremamente sensível.

Episódios. Como se a depressão fosse um seriado de comédia, sempre com uma tirada hilária. Ou uma série de TV cheia de suspense e finais abertos. O único suspense em minha vida é ‘será que um dia vou conseguir me livrar dessa merda?’, e, pode acreditar, fica bem monótono.

O único ponto que, para mim, deixou a desejar foi a não revelação do episódio traumático vivido por Audrey, que originou seus transtornos. Passei o livro curiosa, uma vez que a personagem faz certo “mistério” sobre eles, porém eles não são revelados. Ainda assim, isso é coerente com a história, considerando-se que Audrey evita assuntos que possam vir a lhe fazer mal, da mesma forma em que sua perspectiva de tratamento é o presente, não o passado ou o futuro.

a-procura-de-audrey-3

De modo geral, À Procura de Audrey foi uma leitura não só extremamente prazerosa como também tratou com delicadeza a temática por ele abordada. O livro oferece diversão, um romance fofo – mesmo que não como centro do enredo – e, ao mesmo tempo, chama a atenção para problemas como o bullying e as doenças de fundo psicológico. Sophie Kinsella foi, novamente, muito bem sucedida em seu trabalho e eu não esperava nada menos dela.

Vale a pena demais a leitura! :*

Heyy, tudo bem? Hoje tem mais uma caixinha que recebi da Esmalteria Club, esses são os eco-kits de Março que se chama DIY e Abril que se chama Discovery. Segue um resuminho desse eco-kit de Março, segundo a própria Esmalteria Club:

Diy (Março / 2016) | A caixinha de Março “Diy“ é formada por um universo de cores divertidas que possibilitam uma infinidade de combinações que podem ser feitas por você!. Além das novidades que virão na caixinha, também estaremos trazendo diversos materiais mostrando como combinar os lindinhos que você tem em casa. Traga cores para as suas unhas, originalidade para a sua vida e “faça do seu jeito” sempre!

marco

E este é o release da caixinha de Abril:

Discovery (Abril / 2016) | Em Abril, elaboramos uma caixinha recheada de cores para ser explorada, experimentada, vivida, apreciada e que traduz cores em emoções. Descubra esse mundo de cores, emoções e venha fazer parte da EsmalteriaClub, um clube feito para apaixonadas por esmaltes.

abril

Eu achei esse perfil da Esmalteria Club no Pinterest, clicando aqui você chega lá, onde eles colocam uns releases dos eco-kits. Foi de lá que tirei esse e essa foto, maneiro, né? Bem, mas vou mostrar a caixinha de Março primeiro…

caixa-marco

Esse eco-kit veio apenas esmaltes e eu acho que é a primeira vez que isso acontece. Bem básico, mas fofo! *-* Bem, mesmo assim, vocês podem ver que veio bem recheadinha essa caixinha, não é?

  • COZETE GOMES – J’Adore – Marrom escuro,com fundo acinzentado, chiquérrimo;
  • COZETE GOMES –Rara – Um esmalte lavanda, maravilhoso, bem vibrante;
  • IVETE SANGALO – Pequena Eva – Um rosa invernal, fechado na medida, muito muito delicado;
  • IVETE SANGALO – Vamo que Vamo – Nude com fundo acinzentado e shimmer douradinho,
  • JULIANA PAES – Otimista – Um verde maravilhoso, levemente militar, ligeiramente candy e com glitter prata fininho.

Agora vamos a de abril? Olha só que linda e bem a carinha do inverno!

caixa-abril

  • LATIKA – Tão Perto, Tão Longe – Marrom escuro, com fundo acinzentado, chiquérrimo;
  • IVETE SANGALO – Cope Cope – Um esmalte azul royal metálico lindo, bem vibrante, mas nem tanto quanto na foto;
  • IVETE SANGALO – Tigresa – Um esmalte marrom metalizado com shimmer dourado. Ficou bem aceso na foto, mas é um pouco mais escuro;
  • PRETA GIL – Conhaque para 2 – Marrom fechado com cara de chocolate meio amargo,
  • TAPETE PARA NAIL ART – Eu nunca tinha visto isso, mas achei interessante demais. É uma placa de plástico durinho com alguns moldes para você criar seus próprios adesivos para compor nail arts.

Esse foram os meus lindos eco-kits de março e abril! Adoro mostrar as minhas caixinhas, pois sei que vale mega a pena cada centavinho que desembolso por elas. Você também pode ter as suas entregues na comodidade da sua casa. Quer saber como? Eu te explico!

Para fazer parte do clube suuuuuper fácil! Basta clicar aqui para ser redirecionado para o site do club, faça o cadastro no site, escolha a melhor forma de pagamento e voilà! Existe também formas para que a sua caixinha chegue de graça, olha só:

esmalteria1

Gostou??? Vale demais a pena!!!! Se você se interessou e quer assinar, não esqueça de dar uma forcinha para a amiga aqui e me coloque na indicação, meu código é: 18180-LDKY

É isso aí! Muito obrigada pela força e até a próxima!!! Beijos!!!

Assuntos: ,
swatches category image

Risqué – Violeta Acinzentado

Publicado em: 27.04.2016  

Eiiii, pessoal, tudo bem??? Hoje eu trago um esmalte nacional que eu adoro e combina um monte com tempinho frio.

violeta

violeta-2

Edição Limitada Risqué Fast Fashion 03 – Violeta Acinzentado traz em sua composição o elemento COLOR effect, que confere efeitos especiais ao esmalte, resultando em uma cobertura surpreendente. A cor do esmalte é violeta, que com a luz reflete efeitos acinzentados.

violeta-3

Eu passei 2 camadas e cobriu super bem, secou muito rápido e durou dias nas unhas.

violeta-4

Gostaram, meninas? Ele é bem básico e fácil de encontrar! Agora com o clima frio que está chegando, pode se jogar nessa cor! :*

Assuntos: , ,
resenha category image

Colleen Hoover – Métrica, Livro 1

Publicado em: 25.04.2016  

Métrica

Métrica
Slammed, Livro 1
Colleen Hoover
Editora Galera, 2013
304 páginas

Americanas Submarino
O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina. Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.

Esse foi o primeiro livro que li da autora – e não podia ter ficado mais satisfeita. Me apaixonei não só pelos personagens, mas por sua forma de contar histórias. S2

A família de Layken está devastada com a recente perda repentina do pai. Aos 18 anos e sofrendo, ela precisa se esforçar para apoiar o irmão mais novo e a mãe, que não para de se sacrificar para sustentar a família. Como se não bastasse a dor da perda, agora Lake vai precisar lidar com outra surpresa desagradável: a mudança repentina da família para Michigan, deixando para trás todas as lembranças que ainda tinha do pai. Revoltada e infeliz, a menina está certa de que sua vida não poderia ser pior e já odeia tudo a respeito do novo lar, apesar de tentar ser forte a respeito disso. Mas sua visão muda radicalmente quando Will – seu vizinho de 21 anos, sensível, interessante e extremamente atraente – aparece em seu caminho. Graças aos seus irmãos mais novos, os dois estão sempre se cruzando e passam a desenvolver uma amizade pouco inocente. A conexão entre os dois é como um ímã, como a ligação de duas metades perdidas. E quando finalmente as coisas parecem estar entrando nos eixos para Lake, o retorno às aulas vira tudo de cabeça para baixo outra vez, deixando-a devastada e perdida de novo. Agora ela vai ter que aprender a recolher os cacos do seu coração e seguir em frente. Ou não.

metrica-1

Com MUITA sensibilidade, a autora – como sempre! – nos apresenta temas fortes e impactantes com uma roupagem suave, que não deixam de chamar a atenção para o problema, mas conseguem nos deixar ainda mais envolvidos. O fato dela ter escolhido uma banda – The Avett Brothers – para ser a abertura dos capítulos e a trilha sonora do casal deixa tudo ainda mais rico. Juntando a isso a inserção da poesia slam (daí o título original), algo que exige entrega e desabafo real, a narrativa deixa de ser burocrática e passa a ser ainda mais visceral. Os personagens são extremamente cativantes e carismáticos, mesmo em suas fases mais mimizentas. Todos cometem erros, são muito humanos, mas também têm suas características particulares que os tornam ainda mais especiais.

Will tem uma história de vida muito difícil, de partir o coração, e é impossível não se apaixonar à primeira leitura. Seus poemas são honestos e difíceis de ouvir (como o slam deve ser), e suas atitudes são altamente compreensíveis – pelo menos quase sempre. Lake ainda precisa amadurecer e faz isso ao longo do livro. Ela tem uma personalidade forte, é extremamente apaixonada pela família e tenta se encontrar em meio ao turbilhão que vira sua vida depois da mudança.

metrica-2

A mãe, os irmãos dos dois e a melhor amiga da menina, Eddie, são FANTÁSTICOS. São personagens que, mesmo quando aparecem pouco, são de extrema importância e fazem toda a diferença na história. Apesar de ter achado a conexão do casal um pouquinho instantânea demais – alguns dias para uma paixão avassaladora -, adorei cada segundo da leitura. Sorri e chorei muito, tive meu coração partido em mil pedacinhos, mas fui recompensada com um tantinho de esperança ao final. Gostei MUITO!!!

Eu gostei tanto do livro que li os outros 2 em 1 dia. Pensa! Não levantei nem pra fazer xixi. :O Mas uma coisa que aprendi com essa leitura é que devo confiar em Colleen Hoover. Essa mulher sabe MESMO o que está fazendo, sou fã! E que venham MUITOS outros livros. 😉

Assuntos: ,
inspiracao category image

Meus Escritores Favoritos!

Publicado em: 22.04.2016  

Eiiii, pessoas, tudo bem? Hoje eu trago para vocês meus escritores favoritos. Na verdade, escritoras. Ainda não encontrei nenhum escritor para chamar de meu. Tirando Shakespeare, mas ele era dramaturgo e não é sobre isso que venho falar hoje.

Vou contar um pouquinho da autora, livros e a influencia dela na minha vida. Acho bacana assim, não é? Vamos lá!

cassandra-clare

Esta é a Cassandra Clare, autora das maiores séries que já li e as histórias que eu nunca vou esquecer. Gente, adoro ficção e todas as séries dela se juntam no passado, presente e agora futuro. Isso é incrível! Ela escreveu as séries – Os Instrumentos Mortais (Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial), As Peças Infernais (Anjo Mecânico, Príncipe Mecânico e Princesa Mecânica)e Os Artifícios das Trevas(Dama da Meia-Noite, Lorde das Sombras e Rainha do Ar e da Escuridão – os dois últimos ainda não foram publicados); e os contos O Desafio de FerroA Luva de Cobre. Ainda tem muita coisa agendada para sair dessa autora maravilhosa. Já li tudo dela, menos o Dama da Meia-noite que chegou essa semana lá em casa. Tem mais uma série já informada que está prevista para 2017 também da saga dos Cassadores das Sombras. Essa série, apesar de não ter sido liberada em ordem cronológica, trata-se do passado, presente e futuro dos cassadores das sombras. Eu explico, a série Os Instrumentos Mortais acontece no momento atual, As Peças Infernais acontece no passado, com os antecessores dos personagens de Instrumentos Mortais e Os Artifícios das Trevas é a história no futuro de Instrumentos Mortais, 5 anos após os acontecimentos do último livro. E assim vai… Muito bom! S2

cecelia-ahern

Esta é a Cecelia Ahern e escreveu livros incríveis: P.S. Eu te amo; Simplesmente Acontece; Se Você me Visse Agora; Aqui é o Melhor Lugar;  As suas Lembranças são as Minhas; O Presente; O Livro do Amanhã; A Vez da Minha Vida; A Lista, Como se Apaixonar. (Já li os em negrito!) – Não li muitas coisas dela, mas estes dois livros serviram para me apaixonar pelo jeito que ela escreve. Sabe aqueles livros que você sente que mexe bem no fundo da gente? Pois é, a escrita dela é bem assim.

colleen-hoover

Esta é a Colleen Hoover e é uma das minhas autoras preferidas ultimamente. Tudo começou com Slammed que ganhei no amigo o culto da empresa. Foi amor desde a capa até o dia seguinte quando terminei os 3 livros da série. Oo Depois veio Hopeless que também li muito rápido e foi o mesmo amor. Comprei o Em Busca da Cinderela que é um spin-off de Hopeless e já no início tem a trajetória da Colleen, antes de começar o livro, e foi maior ainda o meu encanto com ela. Sei lá, parece que quando você lê esse pedacinho da vida da pessoa que ela quer compartilhar com você, de alguma forma, você fica mais perto dela, sabe? Depois li O Lado Feio do Amor e foi muito mais amor, que história INCRÍVEL! Comprei Nunca Jamais sem saber que era uma série de 3 livros e que só tinha esse até agora, li e fiquei maluca quando descobri na última folha sobre a série. ¬¬ É bizarro, gente! Você começa a ler e só para no último livro, sério mesmo!

colleen-houck

Agora vamos falar da Colleen Houck. Eu até já contei essa história antes, mas vou fazer um resuminho aqui para quem não viu ainda. Tudo começou quando eu estava nas Lojas Americanas com meu namorado, ele pegou A Maldição do Tigre e falou que, pela capa e sinopse, eu iria gostar muito da história. Não liguei muito, pois estava maluca com outros livros e tal. Anos depois li uma resenha desse mesmo livro e fui correndo comprar. BUM! In love total! Ela escreveu a série A Maldição do Tigre e O Despertar do Príncipe que faz parte da sua segunda série intitulada Deuses do Egito. Para quem gosta de ficção, fantasia e muita história de mitologia e outros lugares, vai amar a escrita da Colleen. Só um adendo, ela já curtiu uma foto minha no Instagram e um post no Facebook. Muito chique, né? S2

helen-fielding

Essa é a Helen Fielding, criadora da nossa maluquinha Bridget Jones. Além da série Bridget Jones, composta por 3 livros, sendo O Diário de Bridget Jones, Bridget Jones no Limite da Razão e Bridget Jones Louca Pelo Garoto, ela escreveu Causa Nobre que já li e adorei e A Imaginação Hiperativa de Olivia Joules que estou querendo muito ler. É um tipo de leitura mais adulto, então não é todo mundo que gosta. Mas ela escreve muito bem!

jk-rowling

Agora é a vez da JK Rowling, a escritora que me fez adora ler. Ela escreveu a série Harry Potter composta pelos seguintes livros: Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara SecretaHarry Potter e o Prisioneiro de AzkabanHarry Potter e o Cálice de FogoHarry Potter e a Ordem da FênixHarry Potter e o Enigma do PríncipeHarry Potter e as Relíquias da Morte, tiveram também os spin-offs de HP que são: Animais Fantásticos e Onde HabitamQuadribol Através dos Séculos e Os Contos de Beedle, O Bardo. Teve também o Morte Súbita que eu não consigo ler de jeito nenhum, achei horroroso, mas pretendo terminar um dia. Isso tudo ela escreveu como JK mesmo. Ela criou um pseudônimo para escrever uma série mais voltada para o público adulto, mistérios, romance, policial e etc. O pseudônimo é Robert Galbraith e assim escreveu: O Chamado do CucoO Bicho-da-Seda e Vocação Para o Mal. Esses eu não li, mas tem muita gente falando que os livros são incríveis.

lauren-kate

Essa é a Lauren Kate e ela escreveu uma das minhas séries incríveis. Em 2009 ela escreveu a série Fallen (a minha série incrível!) sendo composta por: FallenTormentaPaixão, pausa para spin-off Apaixonados, voltando com Extase e encerrando com outro spin-off Anjos na Escuridão. Depois, para ser mais exata, este ano está saindo outro spin-off de Fallen que é Unforgiven – O Livro de Cam e já estou doida nele. Ela também outra série que estou gostando muito que é a Teardrop, composta até agora pelos livros: Lágrima e Dilúvio. Tem também um livro com a história atual baseada em Macbeth de Shakespeare (só por isso já ganhou meu coração!) que chama A Traição de Natalie Hargrove, eu já li e gostei muito! Vale a pena se você gosta do estilo ficção, anjos…

marian-keyes

Vamos falar agora da Marian Keyes. Falar dela não é fácil! Pra começar, preciso falar como comecei a ler os livros dela. Eu estava na livraria Leitura em Brasília, vendo uns livros (duh!) na sessão de Literatura Estrangeira (que é a sessão que vou de cara em qualquer livraria) quando vi um livrinho verde com a capa listradinha e uma melancia na frente e no título. Eu amo tudo relacionado à melancia, menos a fruta, e fiquei maluca com a capa. Não sabia sobre o que era, então dei aquela lida superficial na sinopse e fui embora com meu livro (pagando por ele, logicamente!). Foi amor logo nas primeiras páginas. Aliás, recomendo demais esse livro! Depois disso, li todos os livros dela: MelanciaFérias!SushiCasório?!É Agora… ou NuncaLos AngelesUm Best Seller pra Chamar de MeuTem Alguém Aí?Cheio de CharmeA Estrela Mais Brilhante do CéuChá de Sumiço. Ela também escreveu o spin-off Mamãe Walsh: Pequeno Dicionário da Família e seu último livro publicado no Brasil, que ainda não tenho, A Mulher que Roubou Minha Vida. Pelo pouco que escrevi até agora já deu pra perceber que eu amo literatura irlandesa, não é? Não sei! Me identifico! Bem, a Marian trata de coisas do cotidiano com muito humor e palavrões, diga-se de passagem.

Sophie-Kinsella

Essa é a Sophie Kinsella, a minha #2 no ranking de autoras. Eu amo os livros dela e fui à Bienal no ano passado basicamente por causa dela, mas a fila estava fazendo muitas curvas e desisti. Tenho todos os livros dela, que são: da série Becky Bloom – Os Delírios de Consumo de Becky BloomDelírios de Consumo na 5ª AvenidaAs Listas de Casamento de Becky BloomA Irmã de Becky BloomO Chá-de-Bebê de Becky BloomMini Becky Bloom: Tal Mãe, Tal FilhaBecky Bloom em Hollywood (comprei na Bienal) e Shopaholic to the Rescue que ainda não saiu aqui no Brasil. Ela ainda escreveu alguns romances independentes, são eles: O Segredo de Emma CorriganSamantha Sweet, Executiva do LarLembra de mim?Menina de VinteFiquei com o seu número Lua de mel. Esses ela escreveu com seu pseudônimo (Sophie Kinsella), tem também os livros que ela escreveu como Madeleine Wickham, que são: Louca para Casar, Drinques Para TrêsQuem vai dormir com quem?, estes dois últimos que ainda não tenho, mas estou doida pra ler.

stephenie-meyer

Por fim, mas não menos importante, vem a Stephenie Meyer. A Steph, como me dou a liberdade de chamá-la, entrou na minha vida no ápice da minha depressão pós-parto. Minha mãe foi me visitar em Brasília e levou Crepúsculo dizendo que eu ia gostar muito. Eu nunca tinha escutado falar desse livro, mas achei a capa interessante e quando vi que tratava-se de uma história com vampiros e lobos fiquei doida para ler. Eu estava num momento tão ruim que nada me animava e tal. Comecei a ler e fiquei cada vez mais entretida com o livro. Quando vi já estava na porta da livraria esperando lançarem o segundo volume. Bem, esse primeiro volume é o que dá nome à série e além dele ela é composta pelos livros: Lua Nova, Eclipse, Amanhecer e o spin-off A Breve Segunda Vida de Bree Tanner. Depois ela começou a escrever um livro com a versão do Edward Cullen sobre o que aconteceu em Crepúsculo, mas a história vazou e ela parou nos primeiros capítulos. No ano passado ela lançou uma edição comemorativa de Crepúsculo, onde uma lado do livro era o primeiro volume da série e quando você virava o livro tinha outra história intitulada Vida e Morte: Crepúsculo Reimaginado onde conta a mesma história só que invertida. Nesse livro, a Bella Swan (que é a mortal em Crepúsculo) vira o mortal Beaufort Beau Swan e o Edward Cullen (o vampiro em Crepúsculo) vira a Edythe Cullen. Bem, depois dessa série ela escreveu A Hospedeira, que também virou filme. Também tem uma participação no livro Formaturas Infernais e uma enciclopédia de Crepúsculo intitulada A Saga Crepúsculo – Um Guia Ilustrado. Eu tenho todos e sou maluca por essa história. Não gostei muito dos filmes, mas também tenho todos os DVDs. Na verdade, não sei se não gostei dos filmes ou de assisti-los no cinema. Foi a partir desse momento que eu dei uma parada de ir ao cinema. Tá muito chato! As pessoas estão cada vez mais sem educação.

Ficou enorme esse post, mas eu não tinha como não falar de qualquer uma autora que apareceu aqui hoje. Afinal, são minhas autoras favoritas, não é mesmo! Espero que vocês tenham gostado. Caso vocês tenham alguma indicação de leitura para me indicar, sintam-se a vontade aqui nos comentários. Beijos e até a próxima! :*

swatches category image

Foup – Army

Publicado em: 20.04.2016  

Eiiii, pessoal, tudo bem?? Quem aí se amarra num esmalte cor militar? Tem gente que gosta de se vestir toda com essa moda! Eu amei demais este esmalte!

army

army-2

Esse é o Army que faz parte da coleção Elementos da marca Foup, eu usei duas camadas desse verde maravilhoso, super bem pigmentado, secou rápido e não surgiu bolhinhas. Amo a Foup os esmaltes da marca tem um vidrinho super fofo e possuem o pincel flat que facilita a esmaltação.

army-3

army-4

Eu estava lendo A Aprendiz quando esse esmalte chegou e me inspirou na hora por causa da cor da capa do livro. Tanto que acabei tirando foto dos dois! HaHaHa 🙂

army-5

Gostaram? Eu amei demais e já consigo imaginar uma porção de coisas para fazer nas unhas usando ele. :*

Assuntos: ,
resenha category image

Lauren Oliver – Réquiem, Livro 3

Publicado em: 18.04.2016  

Réquiem

Réquiem
Delírio, Livro 3
Lauren Oliver
Editora Intrínseca, 2014
304 páginas

Americanas Submarino
No desfecho da trilogia em que o amor é considerado uma doença, Lena é um importante membro da resistência contra o governo. Transformada pelas experiências que viveu, está no centro da guerra que logo eclodirá. Depois de resgatar Julian de sua sentença de morte, Lena e seus amigos voltam para a Selva, cada vez mais perigosa. Enquanto isso, Hana, sua melhor amiga de infância, foi curada. Ela leva uma vida segura e sem amor junto ao noivo, o futuro prefeito. Às vésperas do casamento e da eleição – cujo resultado pode dificultar ainda mais a vida dos Inválidos -, Hana se questiona se a intervenção realmente tem efeito. Vivendo em um mundo dividido, Lena e Hana narram suas histórias em capítulos alternados. O que elas não sabem é que, em lados opostos da guerra, suas jornadas estão prestes a se reencontrar.

Em Réquiem, a revolta atinge seu ápice e culmina na revolução dos Inválidos. Reguladores estão por todos os lados, inclusive na Selva, e tornam a vida ainda mais complicada. Com recursos escassos e ataques frequentes, Lena e os outros não-curados precisam lutar com ainda mais vontade por suas vidas. Paralelamente ao caos político, Lena vive seus próprios dilemas. Como se não bastasse a possibilidade de sua mãe estar viva – e no centro da revolução -, Alex também está de volta e bagunçando todos os seus pensamentos e sentimentos, já que Julian largou toda a vida que conhecia para recomeçar ao seu lado, com os Inválidos e parecia ser a escolha certa. Do outro lado dos muros, Hana – a ex-melhor amiga de Lena – passa pela intervenção e é pareada com ninguém menos que o futuro prefeito de Portland. Apesar da cura, que deveria eliminar qualquer tipo de dúvida e dor de sua vida, a menina começa a perceber que talvez as coisas não tenham saído exatamente como deveriam e que, se não esconder isso, pode correr um grande perigo. Apesar de seus esforços para disfarçar, Lena não consegue abrir mão de tentar reparar um grande erro que cometeu – e aqui confesso que fiquei MUITO chocada – e acaba arriscando tudo o que conquistou, e a própria vida.

“É isso que as pessoas fazem em um mundo desordenado, um mundo de liberdade e escolha: elas vão embora quando querem. E você fica para trás, para catar os cacos sozinho.”

requiem

Revezando os capítulos entre Lena e Hana, Lauren Oliver conseguiu me prender até o fim, movida pela curiosidade. Mas não é o que parece, o livro não é bom a esse ponto – pelo menos não no que se refere a protagonista. Lena está extremamente chata, cheia de mimimis e tornando-se uma narradora sacal – hora preocupadíssima com a revolução, hora mais ocupada com seus próprios problemas amorosos. Entendo que isso seja típico da idade, mas – oi? – eles estão em meio a uma guerra e precisam estar o tempo todo preocupados com a própria vida. Não foi propriamente o triângulo amoroso que me incomodou, mas como a protagonista lidou com isso. Achei injusto, do início ao fim, a forma como ela age – e olha que nem gosto de um dos meninos. A verdade é que Lena se perdeu ao longo da história. Por outro lado, Hana mostrou-se uma narradora ótima. A personagem tem vários dilemas e lida com eles de forma muito mais sensata e interessante – e não só por ser curada, mas justamente pela possível falha no procedimento -, nos fazendo querer saber mais e mais de seu lado da história.

requiem-2

O livro podia ter sido MUITO mais. A trilogia, como um todo, poderia ter sido MUITO mais. Lauren Oliver perdeu a oportunidade de criar uma história épica sobre os conflitos envolvendo a erradicação do amor como doença e as lutas de quem apenas queria ser livre. Apesar disso e de tudo o que já apontei, mesmo com Lena se mostrando uma chata, fiquei contente por ler lido o final – e só lamento mesmo a Hana ter demorado a ter espaço na série. A autora conseguiu mostrar, de forma básica, que certas escolhas podem nos definir para sempre e que algumas coisas não têm volta – como a revolução e a própria liberdade. Agora preciso dizer que, apesar do final se desenhar mais ou menos como eu gostaria, não há nada definido. NADA, NADINHA! Lauren Oliver deixa mil possibilidades abertas!

Uma distopia com um tema super interessante e uma leitura rápida e envolvente mesmo com os pontos negativos. Para quem já começou a ler, sim, vale a pena terminar. Para quem ainda não acompanha a série, vale começar sem grandes expectativas.

Eiii, pessoal, tudo bem? Hoje eu vim mostrar os meus aplicativos favoritos de e-books e organizadores. Tenho um Moto G 2ª geração com capinha TURQUESA, porque, né? E eu AMO esse celular! Bem, há um tempo eu fiz um post com todos os meus joguinhos e só clicar aqui se você quiser ver, tá?

¤ E-book ¤

Eu tenho 2 programinhas para leitura dos meus e-books no celular, mas os que tenho eu sou doidinha neles.

kindle-a

O Kindle é o meu aplicativo favorito para ler e-books. Eu adoro o design dele e a facilidade de sincronização com o computador e com a Amazon, torando tanto a leitura quanto a compra dos e-books muito fáceis. Possui um dicionário bem completinho e marca onde você parou nos livros para que não se perca.

kindle-b

Enquanto meu Kindle Paperwhite não chega, vou me virando com esse aqui! S2

ebook-reader-a

Meu outro queridinho é o Ebook Reader. Esse foi indicação do meu PH e é um app incrível para leitura de arquivo tipo .epub. São arquivos bem arrumadinhos e você encontra aos montes online. Tem tudo quanto é tipo de livros. Vale muito a pena!

ebook-reader-b

Nesse app você tem um estante onde aparecem seus livros pelas capas. Basta clicar na capa e abrir o livro. Ele também salva onde você parou, muda a luz de fundo e letra e também muda a intensidade da iluminação. É bem completinho!

¤ Organizador ¤

Eu tenho alguns programinhas para me organizar. O que mais uso é o Calendar do Google, por conta da integração dele com a minha vida (e-mail, celular, alarme…).

google-calendar-a

Como disse, o Google Calendar é o meu app mais usado de todos os tempos. Ele é incrível! Na verdade, eu sou #teamgoogle total! Minha vida está nessa agenda. Ela é super fácil de usar, basta clicar no dia e hora que você quer e criar um evento. Quando cria o evento, aparecem várias opções editáveis sobre o tipo de evento, mudar a cor, endereço, mapa…

google-calendar-b

Tem alguns formas de visualização da agenda, em formato agenda mesmo e só com os eventos são algumas. É bem completinho!

memocool-a

Esse é o MemoCool, ele é uma gracinha e super eficiente. Tem a interface bem bonitinha e funciona como se tivéssemos post-its em nossos telefones. Não sei se ele integra com alguma coisa no computador, mas no celular ele cumpre bem o que promete.

memocool-c

Outra funcionalidade bacana, é a questão dos post-its ficarem como se fosse presos a geladeira com um imã. Ele também tem alarme e é bem fácil de mexer.

memocool-b

É uma aquisição “de grátis” e vale a pena. Não são apps grandes e são bem intuitivos e funcionais. Eu recomendo muito!

É isso, minha gente linda! Depois eu volto mostrando outros APPs do meu celular. Beijos!! :*

Página 1 de 3012345... 30Próximo